Projeto trabalha com a promoção da acolhida de migrantes e refugiados(as) venezuelanos(as) no Brasil

A partir da coleta da Campanha da Fraternidade, realizada no domingo de ramos (25 de março) do último ano, o Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pôde arrecadar mais de seis milhões de reais que, posteriormente, foram aplicados em 179 projetos de diferentes organizações comunitárias de todo o país, incluindo o projeto “Caminhos de Solidariedade: Brasil e Venezuela”. Tal iniciativa surgiu na diocese de Roraima por intermédio da Cáritas diocesana em conjunto com a CNBB e outras entidades que notaram a necessidade de uma ação em resposta a crise humanitária que o estado atravessa, devido à chegada de venezuelanos em situação de vulnerabilidade.

O Caminhos de Solidariedade pretende alcançar ainda dezenas de arquidioceses/dioceses pelo país que estejam disponíveis a acolher os(as) migrantes e refugiados(as), trabalhando para sua proteção, promoção e integração por meio de moradia, alimentação, aulas de português, apoio na inserção no mercado de trabalho, etc. A acolhida depende da iniciativa de grupos, comunidades, paróquias e lideranças que possam colaborar para seguir com a promoção das ações de integração para atendimento digno a essas pessoas.

Os interessados em participar devem se cadastrar pelo site www.caminhosdesolidariedade.org.br e dialogar com a coordenação do projeto, que tem sede na Cáritas de Boa Vista. Requisitos, dificuldades e propostas são dialogados caso a caso, com base nas possibilidades de quem acolhe e à realidade concreta de quem busca acolhida.

O Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios apoia o projeto e reforça a necessidade e a importância de ações solidárias a migrantes e refugiados(as). A solidariedade e a acolhida fazem com que pessoas em fuga de situações de conflito ou de necessidade possam, lentamente, reconstruir suas vidas em nosso país.

 

Luana G. Silveira
Comunicação – CSEM