Analita Candaten, mscs
Brasília: CSEM, 2007.

Um dos desafios é o de conseguir acompanhar o afã impetuoso e complicado [da polissemia teórica e prática do fenômeno migratório], com uma visão de espiritualidade fecunda e em diálogo com o real evolver-se das situações e com os desafios emergentes. Fragmentos de espiritualidade a serem usados e adaptados às pessoas em migração – estrangeiros, hóspedes, peregrinos, missionários, deportados, comerciantes, etc. – são encontrados na Bíblia e em toda a história do Cristianismo, com características específicas conforme as situações e fenômenos. Hoje se pede uma revisitação global, desde as origens até as novas experiências, para que não se viva somente de benevolência generalizada para com esta massa de gente, mas se consiga motivar para quem migra e para quem encontra migrantes, um estilo espiritualmente robusto e significativo de relação, conhecimento, integração e evangelização.
Irmã Analita propõe uma interpretação global da Espiritualidade para um povo a caminho, que pode ajudar a viver e acompanhar o fenômeno desta imensa migração de povos, e fazer uma leitura bíblica, eclesial e espiritual com excelente qualidade.