Historicamente o Brasil é um país que ao longo de sua formação integrou populações das mais diversas nacionalidades. Nos últimos anos, o país se tornou destino de muitas pessoas que, por motivos de guerras, catástrofes ambientais, perseguição política, crise econômica, entre outros, precisam atravessar fronteiras, muitas vezes deixando para trás familiares e amigos, para reconstruir ou até mesmo salvar a própria vida.

Em 25 de junho, Dia Nacional do Migrante, Organizações da Sociedade Civil e pastorais da Igreja Católica realizam uma tarde celebrativa, em Brasília, para fortalecer os laços de solidariedade com migrantes e refugiados que vivem no Brasil. O Encontro marca também o Dia Mundial do Refugiado, celebrado no dia 20 de junho.

 

Cultura do encontro

 A ação consiste em uma tarde motivada pela Cultura do Encontro, atitude incentivada pelo papa Francisco em seu contundente convite para que populações e governos trabalhem em vista da acolhida, proteção, integração e promoção de migrantes e refugiados.

O evento será aberto a todas as pessoas e tem o objetivo de proporcionar trocas culturais, artísticas e gastronômicas. Esta será também uma oportunidade para sensibilizar representantes dos poderes públicos, para que atuem em favor dos direitos de migrantes e refugiados que vêm ao Brasil, na esperança de encontrar aqui um novo lar e reconstruir a vida.

Haverá feira cultural com produtos artesanais, culinários e artísticos produzidos localmente por migrantes e refugiados. Os participantes são convidados a levar um quilo de alimento não perecível ou itens de higiene pessoal. As doações serão entregues para migrantes e refugiados atendidos pela Cáritas Brasileira e pelo Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH).

 

Desafios e oportunidades

Dados recentes divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU) indicam que o mundo tem cerca de 250 milhões de migrantes internacionais. Deste total, mais de 68 milhões se encontram em situação de deslocamento forçado.

De acordo com estimativa da Polícia Federal, a população de migrantes e refugiados no Brasil é de 1.198.137 pessoas com registro ativo. Este total, em um universo de 207 milhões de habitantes, representa menos de 1% da população brasileira. Apesar de ser um número pequeno diante dos grandes fluxos vividos em outras localidades no mundo, migrantes e refugiados participam ativamente da vida social, produtiva, cultural e econômica do Brasil e precisam tanto de acolhida quanto de ações que lhes proporcionem inserção social e laboral e favoreçam sua integração na sociedade brasileira.

Entre os principais desafios para migrantes e refugiados nesse contexto, estão a garantia dos mesmos direitos fundamentais que são conferidos aos cidadãos nacionais, e a implementação de políticas públicas alinhadas com urgências como acesso à oportunidade de trabalho e renda, moradia, saúde, educação e necessidades integradoras como aulas de português e acesso à cultura e ao lazer.

 

Programação:

14h às 16h – Compartilhando saberes: Sons do mundo, declamação de poesias, narração de contos tradicionais do mundo, partilha de vida de migrantes e refugiados.

16h às 17h – Compartilhando sabores: Pratos típicos de diferentes nacionalidades e culturas.

17h às 18h – Compartilhando compromissos: Ato público com pronunciamentos de representantes dos poderes públicos, organizações da sociedade civil e migrantes.

17h50 – Ciranda do mundo: Dança circular com todos os participantes para celebrar a solidariedade humana e o direito de migrar.

 

SERVIÇO

Dia Nacional do Migrante
Tarde celebrativa: Migração e refúgio: compartilhe a viagem
Brasil de braços abertos!

Quando: 25 de Junho de 2019 (Terça-feira)
Horário: 14h às 18h
Local: Edifício Darcy Ribeiro – CONIC – Brasília – DF (Acesso pelo Boulevard Center,     próximo à rodoviária o Plano Piloto)
Informações: Jucelene Rocha –  comunicacao@caritas.org.br  (11) 98694-1616

Luana G. Silveira – comunicacao@csem.org.br   (61) 3327- 0627

Tainá Aragão – imdh.apoio@gmail.com   (61) 3340-2689

Realização: