11 de abril de 2019


POR ROSINHA MARTINS

IMPRENSA SCALABRINIANA | 09.04.2019 | Nos últimos anos a temática dos migrantes e refugiados tem se tornado uma pauta de grande relevância no cenário internacional.  O desrespeito à dignidade das pessoas que se vêm obrigadas a se deslocar pela crescente violência, falta de emprego que os deixa na vulnerabilidade, tem chamado à atenção.

Especialistas e estudiosos afirmam que a causa maior deste fenômeno é a chamada ‘globalização neoliberal’ que, fortificada na década de 70, se torna responsável por gerar uma desigualdade sem precedentes e grande concentração de riquezas no mundo.

É neste contexto que atuam as missionárias scalabrinianas, disponíveis na Igreja e na sociedade para prestar um serviço evangélico e missionário a esses povos de todas as raças e culturas expelidos pelo sistema vigente, numa corrida frenética em busca da sobrevivência.

Para a Irmã Maria Lélis, Superiora Provincial das Scalabrinianas em São Paulo, toda a reorganização pela qual passa a Província nesse momento tem um único objetivo, bem definido, que é atender às demandas da migração onde a vida clama e onde os socorros às vidas de pessoas em situação de migração e refúgio se tornam emergenciais. “Um dos temas que estamos tratando em nossa reunião é a integração das Irmãs no serviço itinerante para atender às emergências da migração e do refúgio, como por exemplo, pensar a nossa presença no norte do país”, afirmou.

Questionada sobre os novos desafios que a África apresenta à missão após catástrofe natural, Irmã Maria Lélis respondeu que o ciclone que atingiu Moçambique é um dos assuntos da pauta por ser uma realidade emergente para qual devem voltar os olhos.

Para a Irmã, o objetivo do serviço itinerante das scalabrinianas deve seguir exatamente este propósito de ter Irmãs preparadas para atender imediatamente a situações emergentes como o caso de Moçambique, que terá grande êxodo após passagem do ciclone.  “O serviço itinerante deve servir para esses momentos e devemos reforçá-lo em nossa Província e na Congregação como um todo. Muitos que vivem naquele país se tornarão tão vulneráveis e terão que buscar outros lugares para terem melhores condições de vida, o que exatamente acontece com os venezuelanos, os quais estamos acolhendo também na Casa Madre Assunta para que possam ter condições de buscar um trabalho e ajudar seus familiares que permaneceram no país.


Moçambicanos se refugiam nos telhados com passagem de ciclone. Foto: Marinês Biasibetti

A reunião do Conselho da Província Maria Mãe dos Migrantes que abrange as áreas missionárias da América do Sul e África, campos de atuação das scalabrinianas, acontece desde o último dia 7, na Sede Provincial, em São Paulo, até o final da tarde desta terça, 9. Irmã Maria Lélis explica que o objetivo da reunião “é conhecer as inquietudes e solicitações que chegam ao governo provincial e tomar as decisões pertinentes desde os vários âmbitos da Província ampliada. ”

Encontro de repasse dos governos cessantes das províncias anteriores, transferências, comunicações com as Irmãs, áreas jurídicas, social, formação, educação, pastoral direta com os migrantes, aprovações, serviço de comunicação como também, a preparação do primeiro capítulo da Província, que acontece de 24 a 26 de maio próximo, são assuntos que estão sendo tratados nessa reunião do Conselho.

Fonte: Fonte: mscs