Nossas redes sociais

‘O que temos em países da América Central não é um problema de migração, é uma crise de refugiados’

 No final de 2016 foram registrados mais de 180 mil refugiados e solicitantes de refúgio de El Salvador, Guatemala e Honduras, representando um aumento de 68% em comparação aos números registrados no ano anterior.

No final de 2016 foram registrados mais de 180 mil refugiados e solicitantes de refúgio de El Salvador, Guatemala e Honduras, representando um aumento de 68% em comparação aos números registrados no ano anterior.

Além disso, cerca de 216 mil pessoas foram deportadas para esses países vindas do México e Estados Unidos, criando pressão nas capacidades de recepção e proteção de seus direitos.

O alto-comissário assistente para Proteção da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Volker Türk, destacou a necessidade de cooperação regional para solucionar o deslocamento forçado na região.

Em visita à região para o primeiro Diálogo Regional de Proteção, ele afirma que o encontro procura “alinhar soluções operacionais e regionais à problemática multicausal de refugiados”. Volker ressaltou ainda que a proteção do indivíduo é o mais importante. “É fundamental que encontremos rotas e maneiras para assegurar que [as pessoas que retornaram] possam reintegrar-se na sociedade”, disse no evento de inauguração dos diálogos.

Türk se reuniu também com chefes de Estado, representantes da comunidade e parceiros da ACNUR, que dão apoio vital para os deslocados e aqueles que estão em trânsito e precisam de proteção.

Em El Salvador, com o vice-presidente Óscar Ortiz, foi inaugurada a Oficina Local de Atenção às Vítimas (OLAV) no Centro de Atenção Integral para Migrantes La Chacra. Uma das prioridades da ACNUR é apoiar os esforços do Estado de El Salvador na resposta às vítimas da violência por meio da OLAV.

Outro foco particular da visita foi abordar as necessidades específicas das crianças que estão se deslocando, assegurando que os abrigos especializados no caminho tenham a infraestrutura necessária para apoiá-los e protegê-los. Em parceria com a ‘Save the Children’, organização não governamental que protege os direitos de crianças em diferentes países, o ACNUR desenvolveu iniciativas em centros comunitários proporcionando apoio psicossocial em escolas afetadas pela violência, principalmente para jovens e adolescentes.

Fonte: ONU BR

Pular para o conteúdo