É com satisfação que o Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios – CSEM publica o relatório MULHER MIGRANTE: Agente de resistência e transformação, a qual inaugura a linha de pesquisa Mulher migrante.

O objetivo foi o de identificar as dificuldades enfrentadas por mulheres migrantes ao se estabelecerem em outros países e o de compreender as estratégias por elas desenvolvidas para a superação das diversas situações de dificuldade que encontram na vivência em outro país, o que chamamos de resistência, partindo do entendimento de que são agentes de transformação.

Participaram da pesquisa mulheres paraguaias no Brasil, brasileiras nos Estados Unidos, haitianas na República Dominicana, colombianas no Equador, filipinas na Itália e nicaraguenses na Costa Rica. Esses países e fluxos foram selecionados por existir neles um trabalho pastoral da Congregação das Irmãs Missionárias Scalabrinianas junto aos migrantes.
A análise envolve as dimensões: afetiva, profissional, social e religiosa, no que se refere ao âmbito pessoal e íntimo da mulher migrante. Além dessas, é possível destacar três fatores que perpassam o universo da pesquisa: a mobilidade social, as redes sociais e a dimensão do retorno.

Além de apresentar uma descrição e análise dos dados da pesquisa, pretende-se com este relatório apontar as lacunas e aspectos que precisam ser aprofundados em estudos futuros sobre as mulheres no contexto das migrações internacionais, uma vez que pretende aprofundar um debate que contribua com a formulação de políticas públicas orientadas para a proteção das mulheres migrantes e suas famílias.

Clique aqui para acessar a publicação completa