Dia 09 de novembro, memória da Beatificação de Scalabrini, a comunidade das irmãs do CSEM, na pessoa de Irmã Leocádia Mezzomo, Postuladora da Causa de Beatificação, juntamente com as demais comunidades das Irmãs Missionárias Scalabrinianas de Brasília/DF e com o povo da Igreja local organizaram uma celebração festiva de Ação de Graças pela Beatificação da Cofundadora.

A celebração aconteceu na Catedral Metropolitana de Brasília e foi presidida pelo Arcebispo Dom Sérgio da Rocha e concelebrada por mais oito sacerdotes. A assembleia eucarística era formada por todas as Missionárias Scalabrinianas de Brasília, por representantes de algumas Congregações Religiosas, por amigos e parentes das irmãs, bem como representantes de algumas embaixadas, migrantes e refugiados, colaboradores e voluntários do CSEM e a comunidade da Catedral.

 

As irmãs MSCS quiseram celebrar, agradecendo a Deus este dom da beatificação, pois os santos e beatos transformam o mundo e enriquecem a Igreja de Jesus Cristo. Eles injetam na história da humanidade o amor desinteressado, o serviço aos mais vulneráveis, a solidariedade fraterna entre os opostos. São eles “células vivas que purificam o ar do mundo egoísta” e “embelezam o rosto enrugado da Igreja”. É por isto que os veneramos e que damos às relíquias de seu corpo santificado e ressuscitado com Cristo, um lugar de destaque, de honra, acolhendo-as em nossas comunidades, capelas e Igrejas, como faziam os cristãos desde os primórdios da Igreja.
Assim foi a bem-aventurada Assunta Marchetti. Pessoa que viveu na íntegra a vocação humano-cristã, dentro dos limites que a história e a sociedade de seu tempo lhe ofereceram. Sua vida foi uma benção para tantos órfãos, o conforto para os migrantes, uma presença benéfica para toda a sociedade.

A experiência da beatificação foi e será sempre mais, para as Missionárias Scalabrinianas, um evento de fé, um apelo à renovação, uma enxurrada de graças que se alastram e derramam na missão, onde as coirmãs da Bem-aventurada Assunta Marchetti vivem e prolongam o carisma Scalabriniano, tão bem assumido e transmitido pela Bem-aventurada Cofundadora.

A Bem-aventurada Assunta, podemos afirmar, abre horizontes novos para a Congregação das Irmãs Missionárias Scalabrinianas, faz ressoar um novo chamado à santidade de vida e um forte apelo à dedicação amorosa aos migrantes e refugiados deste tempo.

O dom da Beatificação é, também, um motivo de regozijo e esperança, pois saber que na raiz de nosso Instituto está uma mulher bem-aventurada, religiosa que viveu as bem-aventuranças em modo exímio, amando a Deus “que a amou primeiro” (1Jo 4,10.19) e servindo aos irmãos e irmãs migrantes que encontrou em seu caminho de migrante com os migrantes, nos fala de santidade, como caminho possível, nos fala de missionariedade como expressão terna do amor atencioso de Deus para os pequenos e pobres migrantes: seus filhos e filhas preferidos!

Convidamos para continuar em sintonia com a Congregação das Irmãs MSCS no empenho de servir migrantes e refugiados e invocando a intercessão da bem-aventurada Assunta Marchetti, mãe dos órfãos e conforto dos migrantes.

Ao final da santa eucaristia foram distribuídas lembranças da beatificação para todos os presentes, enquanto Padre Avelarque e sua equipe entoavam o belo Hino à Madre Assunta de Fr. Luiz Turra. Por tudo, mais uma vez, demos graças a Deus!