Os assim chamados "corredores humanitários" e o possível papel da sociedade civil nas políticas de refúgio e migração regular

  • Paolo Morozzo della Rocca Università di Urbino
Palavras-chave: solicitantes de refúgio, corredores humanitários, sponsorship, imigração irregular

Resumo

No passado, o principal problema dos refugiados e dos migrantes estava na superação das fronteiras. Hoje, no entanto, para a maior parte dos migrantes as verdadeiras fronteiras são os consulados, onde se torna cada vez mais difícil conseguir o visto. De fato, somente àqueles que não têm direito de permanecer na Europa se autoriza obter o visto de turista. Por outro lado, aqueles que terão direito ao refúgio não podem solicitar o visto de turista e por isso são obrigados a se entregar às organizações de tráfico de migrantes (smuggling). O projeto “corredores humanitários” oferece canais legais de migração para a Europa para aqueles que têm direito à proteção. O projeto é implementado e totalmente financiado por entidades privadas. Proporcionar rotas de ingresso regular aos solicitantes de refúgio e àqueles que já possuem redes familiares em países europeus não é a única solução possível, mas certamente é uma boa alternativa para gerenciar de forma humana e eficiente as migrações para o continente europeu.

Biografia do Autor

Paolo Morozzo della Rocca, Università di Urbino

Dottorato di ricerca in “Diritto Civile nella legalità costituzionale”. É professore ordinario di Diritto privato nell’Università di Urbino, dove è inoltre docente incaricato di Diritto dell’Immigrazione. È autore di numerose pubblicazioni e monografie in materia di diritto dell’immigrazione ed in tema di cittadinanza. E-mail: paolo.morozzodellarocca@uniurb.it. Roma, Italia.

Publicado
2018-01-09