Quem é da família? Reflexões sobre parentesco e mobilidade.

  • Iana dos Santos Vasconcelos Universidade Federal de São Carlos
  • Sandro Martins Almeida Santos Universidade Federal de Roraima / Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Fronteiras
Palavras-chave: Parentesco, Mobilidade, Trabalho, Estilo de Vida

Resumo

O artigo apresenta comparação entre dois processos migratórios distintos, com base nas relações de parentesco e nas metáforas sobre família. A pergunta, “quem é da família? ”, é respondida em diálogo com os novos estudos de parentesco na Antropologia e, sobretudo, enfocando as concepções e obrigações de família presentes entre viajantes alternativos radicados no interior de Goiás e entre trabalhadores brasileiros nos garimpos na Venezuela. Pode-se dizer que pessoas se colocam em movimento atendendo alguma transformação ou necessidade de transformação. Alternativos sonham com um novo estilo de vida e os garimpeiros com trabalho e riqueza. Nos casos em tela, as famílias, cada uma a seu modo, assumem centralidade, uma vez que são percebidas enquanto causa e efeito da condição de mobilidade. 

Biografia do Autor

Iana dos Santos Vasconcelos, Universidade Federal de São Carlos
Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal de Pernambuco. Doutoranda em Antropologia Social na Universidade Federal de São Carlos.
Sandro Martins Almeida Santos, Universidade Federal de Roraima / Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Fronteiras
Doutor em Antropologia Social pela Universidade de Brasília. Mestre em Relações Internacionais pela Universidade Federal Fluminense. Professor Colaborador Programa de Pós Graduação em Sociedade e Fronteiras (PPGSOF/UFRR)
Publicado
2017-05-16