A- A A+

Tráfico de Pessoas: O ser humano está à venda?

"Tráfico de Pessoas: O ser humano está à venda?" - Editorial da Resenha nº 95 - 2º trimestre de 2014 - Roberto Marinucci

Conforme recentes estimativas, cerca de trinta milhões de pessoas no mundo são vítimas de tráfico humano. Trata-se de homens, mulheres, crianças e adolescentes submetidos a trabalho forçado, exploração sexual, adoção ilegal, remoção de órgãos ou outra forma de atividade compulsória (por exemplo, mendicância ou matrimônio forçado). Esses seres humanos são tratados como objetos, reduzidos a mera mercadoria ou instrumentos de produção, encobrindo assim sua subjetividade, seus diretos e sua dignidade de ser humano.

O tráfico humano não é uma peculiaridade da época contemporânea. A história do Brasil e da humanidade nos ensina que sempre houve pessoas traficadas ou escravizadas. No entanto, se no passado a legitimação da escravidão estava relacionada com fatores bélicos (prisioneiros de guerra), étnicos, raciais, sexistas ou econômicos (escravos por dívida), na atualidade, após a Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) da ONU (“Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos”, “Ninguém será mantido em escravidão ou servidão, a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas”), como justificar a comercialização de seres humanos?

Clique aqui para ler o artigo completo.

Clique aqui para acessar a Resenha completa.

NOTÍCIAS

ABA protocola ofício, sobre inquérito que recorre à atual lei de imigração para investigar a ação política de uma italiana, no Ministério da Justiça

COMPARTILHE

 No último dia 03 de março, a Polícia Federal abriu um inquérito para investigar a ação política de uma italiana, professora concursada na UFMG. O inquérito recorre à atual lei de imigração ainda em vigência no país e que, no seu artigo 107, impede aos estrangeiros o direito à manifestação política e sindical.

Leia mais...

Imigrantes e refugiados enfrentam frio, falta de roupa e dinheiro no RS

COMPARTILHE

 Nos últimos dois anos, 15 mil imigrantes chegaram ao Rio Grande do Sul. Muitos deles fugiram de guerras e conflitos em seus países. Todos buscavam uma vida melhor no Brasil. Porém, eles vêm passando dificuldades em terras gaúchas, como a falta de dinheiro e até roupas, principalmente com as baixas temperaturas que têm sido registradas neste mês de junho. 

Leia mais...
REDES SOCIAIS

Conheça nossos canais dentro das redes sociais, participe, interaja, queremos ouvir você.

facebook  twitter

Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios - CSEM
SRTV/N Edificio Brasília Radio Center
Conj. P - Qd. 702 - Sobrelojas 01/02
CEP: 70719-900 - Brasília - DF / Brasil
Tel/Fax: +55 (61) 3327 0669
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

twitter   facebook